top of page
BG.png
Termo e contratos em estética avançada. Logo Clinicorp.
Termo e contratos em estética avançada. Palavra e-book na vertical.
Precificação de tratamentos odontológicos. Ilustração  de um homem de braços aberto

Um guia completo para profissionais odontológicos que buscam saber o passo a passo definitivo para a precificação de serviços e tratamentos na área de odontologia.


Esse é um conteúdo exclusivo da Clinicorp em parceria com a mentora e especialista em finanças — Isabella Viana.

ADs

Introdução

O E-Book Precificação de Tratamentos Odontológicos é o passo a passo definitivo para a precificação de serviços e
tratamentos na odontologia.

Precificar serviços odontológicos não é apenas uma ciência que determina o sucesso de um produto ou serviço, mas uma desafiadora arte.

Como profissional de odontologia, você sabe que, diariamente, transforma a vida dos seus pacientes. E faz isso através de um atendimento excelente, procedimentos seguros e tratamentos de qualidade.

Mas infelizmente, isso tudo não é suficiente. Por trás de um atendimento de excelência e uma experiência incrível, deve existir um processo meticuloso de planejamento, onde cada serviço é minuciosamente precificado para refletir seu real lucro, atrair os pacientes, acompanhar o mercado e manter o financeiro da clínica saudável.

No entanto, muitos profissionais hesitam diante do desafio de estabelecer preços que equilibrem qualidade, sustentabilidade financeira e atratividade para os pacientes.

Se você é um profissional comprometido com a excelência em todos os aspectos da sua gestão, certamente já deve ter se perguntado sobre a precificação ideal para seus serviços. 

Precificar serviços de forma correta deve ser a base para uma clínica seguir crescendo, sendo capaz de oferecer tratamentos seguros e de qualidade enquanto mantém a saúde financeira em equilíbrio. 

No cenário econômico atual, onde a transparência é uma das moedas mais valiosas na prestação de serviço, a precificação torna-se um reflexo da confiança estabelecida entre profissionais e pacientes.

Dessa forma, entendemos que precificar os tratamentos odontológicos de forma assertiva é um fator determinante e essencial para o sucesso da sua clínica, ou até mesmo, para a sobrevivência do seu negócio.

Pensando nisso, preparamos esse ebook completo com tudo o que você precisa saber sobre a precificação de serviços odontológicos, o passo a passo ideal e como começar a aplicar o quanto antes na sua clínica. 

 

Boa leitura!

 

Esse é um conteúdo exclusivo da Clinicorp em parceria com a mentora e especialista em finanças na odontologia — Isabella Viana.

ÚLTIMA REVISÃO: JANEIRO 2024

APROX. 25 MIN DE LEITURA
 

Termo e contratos em estética avançada.  Logo Clinicorp.
Inicio

Fundamentos da precificação

O que é precificação de serviços?

A precificação de tratamentos, no geral, é mais do que uma simples atribuição de valor financeiro, é a arte de estabelecer preços que refletem não apenas custos, mas também a sensação, status ou percepção de valor que um produto ou serviço pode gerar.


De forma geral, a precificação é o processo estratégico de definir o preço de produtos ou serviços com o objetivo de atingir objetivos específicos, seja cobrindo custos, maximizando lucros ou ganhando participação de mercado.
 

Num contexto amplo, a precificação vai além da mera análise de números. Envolve a compreensão profunda do mercado, das expectativas dos clientes e da posição estratégica da oferta em um cenário competitivo. Trata-se de equilibrar a delicada equação entre o valor percebido pelo cliente e a viabilidade financeira do prestador do serviço.
 

Ao falar da precificação de serviços na odontologia, podemos dizer que o processo acaba se tornando mais técnico e estratégico, refletindo o verdadeiro custo de fornecer serviços de qualidade e segurança.

Para isso, deve-se considerar diversos fatores como: custos fixos e variáveis do procedimento, comissionamento de profissionais que estarão envolvidos, comissionamento da equipe, impostos e taxas sobre as vendas, tempo para realização do tratamento e a percepção do valor pelos pacientes.

Diferença entre preço e valor

Para definir o preço de um serviço ou produto, é crucial compreender a sutil, mas importante, diferença entre preço e valor. 

 

Muitas vezes, esses termos são usados de forma intercambiável, assumindo o significado um do outro. Porém, entender a profundidade e conceito de cada uma dessas palavras pode ser o primeiro passo para a sua estratégia de precificação dar certo.

 

Em sua essência, o preço é o valor bruto financeiro atribuído à venda de um serviço ou produto. É, de fato, o que aparece na fatura, a cifra que representa uma transação monetária. 

 

No cenário odontológico, o preço é a soma dos custos diretos e indiretos envolvidos em um tratamento, incluindo materiais, taxas e impostos, mão de obra, comissionamento, instalações e o lucro.

 

Por outro lado, o valor vai além dos números. É a percepção subjetiva que o cliente tem do serviço oferecido. É a resposta às perguntas: "o que isso significa para mim?", "quanto vale a entrega desse resultado?".

 

No contexto odontológico, a percepção de valor, de forma geral, está ligada aos resultados esperados, à qualidade do atendimento, ao impacto na saúde bucal, à autoestima do paciente e à experiência total proporcionada pela clínica.

Para lembrar:

A diferença crucial entre preço e valor está na perspectiva. 

O preço é objetivo, mensurável, enquanto o valor é subjetivo, influenciado por experiências individuais e expectativas. Para tentar facilitar o entendimento, podemos dizer que o preço é o que você paga, e o valor é o que você recebe em termos de benefícios, satisfação e qualidade de vida.

 

Na odontologia, esta distinção ganha contornos específicos. O preço de um procedimento pode refletir os custos envolvidos, mas o valor para o paciente vai além dos números. Envolve a confiança no profissional, a segurança durante o tratamento, a melhoria estética, da autoestima e a preservação da saúde bucal, não necessariamente nessa ordem.

 

Ao entender plenamente a diferença entre preço e valor, os profissionais da odontologia criam estratégias de precificação que equilibram a sustentabilidade financeira do preço e dos custos de um procedimento com a entrega de valor percebido pelo paciente.

 

Isso implica comunicar preço e valor de forma clara e objetiva aos seus pacientes e ser flexível a adaptar-se às possíveis variações de valor que o paciente possa ter ao longo do tempo.

Importância de uma precificação correta na odontologia

Uma precificação correta não é simplesmente uma cifra, é um reflexo fiel do valor que você entrega. É a harmonia perfeita entre o investimento financeiro e os benefícios percebidos pelos seus pacientes.

 

Precificar seus tratamentos de maneira correta vai além de uma mera sustentabilidade financeira, é, na verdade, a linha de frente na batalha pela sobrevivência do seu negócio e pelo sucesso duradouro da sua clínica. 

 

Precificar de maneira inadequada pode resultar em:

  • Prejuízo

  • Margens estreitas

  • Insatisfação do paciente

  • Fragilidade financeira

 

Por outro lado, uma precificação correta e precisa é a âncora que mantém sua clínica firme em meio às tempestades e turbulências do mercado.

 

Ao compreender a importância de uma precificação correta, você está erguendo uma coluna firme e sólida para a confiança do seu paciente e a reputação da sua clínica. 

 

Este guia está aqui para capacitá-lo a trilhar esse caminho, fornecendo as ferramentas e insights necessários para uma precificação que não apenas faça sua clínica sobreviver, mas prosperar.

Objetivo do e-book

O objetivo deste ebook é criar uma jornada completa e didática para capacitar profissionais dentistas e gestores de clínicas odontológicas na arte crucial da precificação. 

 

Através deste material, queremos fornecer uma compreensão abrangente e prática da precificação de serviços odontológicos, desde os fundamentos até a maestria.

 

À medida que consome este conteúdo, você vai perceber que estamos empenhados em equipar os leitores com informações sólidas e conhecimento prático sobre o tema principal, permitindo que enfrentem os desafios da precificação com confiança e, acima de tudo, com eficiência.

Organização financeira básica

Importância de um financeiro organizado

Muitas vezes vemos que em alguns nichos específicos, como na odontologia, a paixão por transformar a vida das pessoas, se sobrepõe a aspectos gerenciais e empresariais. 

 

Entretanto, é fundamental que os profissionais dentistas assumam uma mentalidade empreendedora para garantir a sustentabilidade e prosperidade de suas clínicas. Este tópico aborda a importância crucial da organização financeira básica como a espinha dorsal do sucesso empresarial na odontologia.

 

Quando um profissional dentista assume o papel de gestor de uma clínica, é essencial compreender que ele está à frente de um negócio que exige mais do que habilidades técnicas e serviços de qualidade.

 

Um financeiro organizado possui diferentes aspectos e cada um desses aspectos será um componente essencial para o sucesso da clínica. 

 

O planejamento financeiro é o pré-requisito para o crescimento sustentável. Isso inclui a definição de metas, orçamentos realistas e projeções financeiras.

 

O acompanhamento também é importante porque visa manter registros precisos das receitas e custos, analisar regularmente os indicadores financeiros e ajustar estratégias conforme for necessário.

 

Uma previsão de receita contínua é essencial para servir como base para um financeiro saudável e a lucratividade é o resultado final desejado e necessário para gerar dinheiro em caixa, de onde você irá recorrer para qualquer tipo de emergência ou futuro investimento na sua clínica.

Para lembrar:

Um negócio odontológico bem-sucedido não apenas sobrevive, mas prospera. 

Isso significa entender seus custos operacionais, precificar serviços de forma assertiva e estratégica e identificar oportunidades de crescimento. Sem uma abordagem empresarial sólida, uma clínica corre o risco de enfrentar muitos desafios financeiros que podem comprometer até mesmo a sua existência.

 

Você já deu um passo gigante ao baixar e estudar esse conteúdo. Certamente, absorvendo as informações que colocamos aqui e aplicando com precisão, você estará no caminho certo para obter resultados extraordinários.

Logicamente, este alerta não busca desviar seu foco do seu propósito principal - seu paciente, mas sim, garantir que essa missão seja sustentável a longo prazo. 

 

A organização financeira básica é, portanto, o primeiro passo para o sucesso empresarial odontológico, assegurando que a clínica trabalhe com qualidade não só nos atendimentos, mas também na gestão financeira.

Separando os custos pessoais dos custos da clínica

Um dos erros mais comuns que gestores de clínicas odontológicas cometem é misturar as contas pessoais com as contas da clínica, criando um emaranhado financeiro que prejudica a visão clara do desempenho econômico.

 

Essa é uma armadilha muito comum entre profissionais de odontologia. O resultado é um cenário confuso onde é difícil determinar quanto a clínica realmente possui em caixa, qual é o pró-labore do profissional e como os custos estão distribuídos.

 

Para realmente alcançar resultados excepcionais de rendimento e fazer a clínica prosperar, é vital que o profissional adote uma abordagem organizada e estratégica para as suas finanças, sendo o primeiro e crucial ajuste separar as contas pessoais das contas da clínica. 

 

Recomenda-se fortemente a abertura de uma conta bancária exclusiva para a clínica. Tanto para o profissional que trabalha como pessoa física ou pessoa jurídica. 

 

Toda receita proveniente dos serviços odontológicos deve ser direcionada para a conta bancária da clínica. Essa conta se torna a central de operações financeiras, responsável por pagar todos os custos da clínica, sejam elas fixas ou variáveis. Isso inclui desde o aluguel do espaço até o pagamento de fornecedores e custos operacionais.

 

O pró-labore, ou o salário do profissional proprietário, também deve ser incluído nos custos fixos da clínica. Periodicamente, o profissional deve transferir a quantia correspondente do pró-labore da conta da clínica para sua conta pessoal. Isso ajuda a manter a organização geral. 

O que restar na conta da clínica representa o verdadeiro caixa disponível, proporcionando uma visão precisa da saúde financeira do seu negócio.

 

Ao adotar essa prática, o profissional obtém clareza sobre suas finanças, evitando toda aquela bagunça e permitindo uma gestão eficiente. Esse simples, mas crucial passo proporciona não apenas organização, mas também a base para a próxima etapa: a compreensão dos seus custos.

 

Veremos isso no tópico a seguir.

Classificação dos Custos

O que é hora clínica?

Você já se perguntou quanto vale seu tempo na sua clínica odontológica? 

 

A hora clínica consiste no custo mínimo por hora necessário para cobrir seus custos fixos. Assim, calcular sua hora clínica é uma ação fundamental e é o ponto de partida para a precificação dos seus serviços. Os profissionais que não utilizam a hora clínica como base para a precificação acabam praticando preços que não fazem sentido para sua realidade de custos.

 

Pensando nisso, vamos entender exatamente o que está envolvido na sua hora clínica e como fazer esse cálculo.

Como calcular a hora clínica?

Definir o valor da hora clínica pode parecer desafiador, mas descomplicamos todo o processo em um passo a passo prático. Comece somando o tempo efetivo dedicado aos atendimentos, por cadeira, dentro de um mês. Caso seja um mês atípico, considere um mês normal de atendimentos. Some todas as horas efetivas das cadeiras, se tiver mais de uma na clínica. 


Atenção: considere apenas as horas efetivas de atendimento aos pacientes, ou seja, desconsidere períodos de ociosidade, faltas, desmarcações, hora de almoço, finais de semana sem atendimento, feriados, compromissos e eventos. Em seguida, levante a média de pelo menos seis meses dos custos fixos e os custos variáveis de materiais de uso e consumo. 


Não esqueça também de incluir seu pró-labore, que é o valor que você precisa receber como pagamento mensal para suprir suas necessidades básicas (sobrevivência). Esse valor de pró-labore deve entrar nesse somatório de custos fixos. 

Antes de partir para o cálculo em si, você deve estar se perguntando o que são os custos variáveis de materiais de uso e consumo (material dental geral). 


Os materiais de uso e consumo geral na odontologia podem variar dependendo da especialidade dentro da área odontológica, mas aqui estão alguns exemplos de materiais comuns que são utilizados no dia a dia, em consultórios odontológicos:


- Luvas descartáveis;
- Máscaras faciais;
- Óculos de proteção;
- Gazes e algodão;
- Seringas e agulhas;
- Brocas odontológicas;
- Espelhos bucais;
- Instrumentos básicos para a inspeção visual e tátil da cavidade oral;
- Fórceps e elevadores;
- Materiais de moldagem;
- Adesivos e cimentos dentários, Fios e fitas dentais;
- Produtos de esterilização, 
- Aventais descartáveis;
- Entre outros. 


Com a média desse custo variável em mãos, o cálculo é simples: divida o total da média do custo fixo acrescido da média do custo variável de materiais de uso e consumo pela soma das horas efetiva de cadeiras ocupadas. Assim, você obtém o valor preciso da sua hora clínica e também do minuto clínico, dividindo por sessenta. 
 

Passo a passo para o cálculo da Hora Clínica:

  • Quantidade de horas dedicadas ao trabalho:

    • Comece fazendo uma avaliação honesta do tempo que você dedica ao atendimento dos pacientes.

    • Inclua, se aplicável, as horas dedicadas nos finais de semana.

    • Desconsidere períodos de ociosidade, faltas, desmarcações, a hora de almoço ou feriados, para ter uma visão precisa do tempo útil dedicado ao trabalho. Desconsidere também eventos e compromissos.

 

  • Relação de gastos fixos e custos variáveis de uso e consumo:

    • Faça uma lista detalhada de todos os seus custos fixos.

      • Exemplos: água, telefone/internet, aluguel, salários de funcionários e pró-labore, anuidades, impostos, manutenção de equipamentos e etc.

    • Liste também os custos variáveis de uso e consumo, como vimos acima.
       

  • Estabelecimento do pró-labore:

    • Defina o pró-labore, o valor correspondente ao seu salário mensal necessário para suas despesas pessoais (sobrevivência).

    • Este valor representa não apenas uma compensação pelo trabalho, mas também uma parte fundamental na formação do custo da hora clínica.

 

  • Cálculo para definir a hora clínica:

    • Encontre a média dos custos fixos, analisando os 6 últimos meses.

    • Divida esse custo médio pelo total médio de horas efetivas de trabalho. Se você tem mais de uma cadeira, some as horas médias efetivas de cada cadeira.

      A fórmula é simples:
      Valor da hora clínica
      = Média dos Custos / Soma da média das horas efetivas de trabalho mensal 


      Exemplo Prático:
      Suponhamos que o pró-labore seja R$5 mil e os custos fixos e custos variáveis de uso e consumo somam juntos R$10 mil, totalizando R$15 mil. Dividindo esse valor pelas 160 horas efetivas mensais de trabalho, o resultado é um custo de R$93,75 por hora. Ao compreender e aplicar o cálculo da sua Hora Clínica, você estará mais próximo de uma precificação eficiente, alinhada com os custos reais da sua clínica. 

Por que utilizar a média dos custos?

Ao realizar uma estratégia de precificação, a atenção aos custos precisa ser redobrada. Muitos profissionais cometem o equívoco de basear o cálculo dos custos apenas com números do mês corrente ou em dados de um mês específico, o que pode resultar em decisões imprecisas e preços inadequados. 

 

O ideal é usar a média de gastos dos últimos seis meses. Essa ação é um estabilizador, reduzindo qualquer tipo de flutuações pontuais e proporcionando uma visão mais consistente dos custos envolvidos.

 

Essa abordagem considera sazonalidades e variações normais, oferecendo uma base mais confiável na precificação dos serviços da clínica.

 

Para lembrar:

Ao adotar valores de um único mês para determinar a hora clínica, os profissionais correm o risco de trabalharem com variações atípicas e sazonalidades. 

 

Em um determinado mês pode ter ocorrido um aumento inesperado de um custo específico, distorcendo assim a realidade desse custo.

 

Por outro lado, a média dos custos é um dado mais assertivo e permite uma análise mais abrangente e realista dos custos, garantindo que as decisões financeiras sejam baseadas em dados sólidos e não em situações atípicas.
 

Para efetuar esse cálculo de maneira mais prática, acesse a Calculadora Hora Clínica da Clinicorp gratuitamente.

Custo variável de alto impacto

Análise de procedimentos com custo de alto impacto

No capítulo anterior, foram contabilizados os custos fixos da clínica e também os custos variáveis de uso e consumo geral. Agora é o momento de entender e levantar os custos relacionados aos materiais necessários para realizar determinados procedimentos específicos e que também impactam diretamente na construção da precificação.

Vamos então aprofundar nossa análise nos procedimentos odontológicos que possuem um custo variável de alto impacto. Esses procedimentos envolvem laboratórios e materiais específicos e demandam uma atenção especial na hora de contabilizar os custos de um procedimento para encontrar o lucro final.

Exemplos de procedimentos de alto impacto para a clínica odontológica:

  • Procedimentos de laboratório:

    • A confecção de próteses e implantes é um exemplo clássico de impacto nos custos, pois representam, na maioria das vezes, um terço do valor de venda do procedimento odontológico.

 

  • Implantes odontológicos:

    • Os implantes, por si só, já representam um custo considerável. No entanto, é essencial analisar de perto também os componentes utilizados.

 

  • Procedimentos estéticos específicos:

    • Intervenções como aplicação de botox e preenchimentos também entram nessa categoria. Os materiais utilizados nesses procedimentos não são genéricos e precisam ser incluídos na análise de custos para uma precificação adequada.
       

Ao destacar e analisar os procedimentos com custo de alto impacto de forma estratégica, os profissionais garantem uma precificação mais alinhada com a realidade financeira da clínica. 

Conheça seus impostos

Comissionamentos

Comissionamento de dentistas parceiros

Comissionamentos de dentistas parceiros são custos variáveis para a clínica odontológica, e por isso, considerar os comissionamentos de dentistas parceiros ou membros da equipe ao precificar seus tratamentos se torna uma ação mais que necessária para um resultado assertivo e funcional.

 

Em alguns casos, uma comissão pode chegar até mesmo a 50% do valor de venda de um tratamento. Deixar de levar em conta esse custo ao estabelecer o preço de um tratamento pode significar sérios prejuízos para você e sua clínica.

 

Considere o seguinte:

  • Estudo detalhado: um estudo aprofundado dos custos totais, incluindo encargos e benefícios, é fundamental para determinar a viabilidade e o impacto financeiro das comissões.
     

  • Planejamento estratégico: adote uma abordagem estratégica ao estabelecer a estrutura de comissões, considerando não apenas os custos imediatos, mas também o impacto a longo prazo na rentabilidade da clínica.
     

  • Relação profissional win-win (ganha-ganha): uma relação win-win significa que todas as partes envolvidas se beneficiam e obtêm vantagens mútuas. Em outras palavras, é uma interação ou negociação em que ambos os lados saem ganhando, alcançando seus objetivos e interesses de maneira satisfatória. Ao buscar relações win-win, as pessoas geralmente procuram criar colaborações sustentáveis e de longo prazo, baseadas na cooperação e na compreensão mútua. Isso contrasta com abordagens competitivas em que uma parte ganha à custa da outra.
     

Fazer um bom planejamento de comissões e incluir esse custo na precificação dos seus serviços faz parte do somatório de custos para entender o valor que realmente  sobra, quando você vende um procedimento. 

Comissionamento da equipe de vendas

Comissionamentos da equipe de venda também são custos variáveis para a clínica odontológica. Refere-se ao sistema de compensação financeira que motiva e recompensa os membros da equipe de vendas com base no desempenho em alcançar metas específicas de vendas. Essa estratégia incentiva os funcionários a atingirem objetivos de vendas, aumentarem a receita e contribuírem para o sucesso geral da clínica.

 

A estrutura do comissionamento da equipe pode variar, mas geralmente envolve os seguintes elementos:

 

Metas de Vendas:

Estabelecimento de metas mensais, trimestrais ou anuais que a equipe de vendas deve alcançar. Essas metas podem ser baseadas em faturamento, número de pacientes, vendas de procedimentos específicos, entre outros.

 

Taxa de Comissão ou valor fixo:

Determinação da porcentagem ou valor fixo que a equipe de vendas receberá como comissão por cada venda concluída. A taxa ou valor da comissão pode variar com base no tipo de serviço, ou procedimento vendido.

 

Produtos e Serviços Elegíveis:

Especificação dos produtos ou serviços que são elegíveis para gerar comissões. Pode haver diferenciação entre procedimentos odontológicos, serviços adicionais (como limpezas ou clareamentos) e produtos relacionados (por exemplo, produtos de higiene bucal).

 

Acompanhamento do Desempenho:

Implementação de um sistema de rastreamento para monitorar o desempenho individual e da equipe em relação às metas estabelecidas. Isso pode incluir relatórios regulares, análises de desempenho e feedback construtivo.
 

Pagamento das Comissões:

Definição da frequência e do método de pagamento das comissões. Algumas clínicas podem optar por pagar comissões mensalmente, enquanto outras podem optar por um cronograma trimestral ou anual.

 

Transparência e Comunicação:

Manutenção de uma comunicação transparente com a equipe de vendas sobre as metas, o desempenho e as políticas de comissão. Isso ajuda a criar um ambiente de trabalho motivador e justo.

 

O sistema Clinicorp conta com a funcionalidade Comissões, onde o gestor consegue automatizar e transferir o comissionamento de seus parceiros e funcionários de forma prática e assertiva. Para saber mais sobre essa ferramenta, clique no link e converse com um de nossos especialistas.

Listagem de procedimentos odontológicos

Meta de lucro realista 

Para ser eficiente no planejamento do lucro da sua clínica, é importante considerar a sua situação atual. Avalie as projeções do mercado e os custos envolvidos para a manutenção do seu negócio como um todo. Tendo essas informações, estabeleça uma meta que seja realmente alcançável, levando em conta circunstâncias reais. Os lucros esperados de clínicas de sucesso atualmente no Brasil estão entre 20% a 35%, ou seja, o valor que sobra após as deduções dos custos deve equivaler de 20% a 30% do valor de venda.


É lógico que se arriscar faz parte de um espírito empreendedor. Por isso, busque sempre o crescimento e a expansão da sua clínica dentro de uma meta alcançável. Uma meta muito ousada pode ser desgastante para alcançar e frustrante caso não seja cumprida.


Porém, uma meta viável pode sim impulsionar sua equipe e estimular pró-atividade e ações cada vez mais inovadoras. Procure certificar-se de que qualquer meta que você defina esteja coerente com uma análise cuidadosa baseada em dados reais e que realmente possa ser sustentada pela operação.


Ao definir seu lucro esperado é extremamente importante ser razoável e se basear em informações reais e não em “achismos”. Por isso, considere alguns fatores:


Custos operacionais: entenda os custos fixos e variáveis envolvidos na operação da clínica. A meta de lucro deve cobrir esses custos de forma suficiente para que haja condições de futuros investimentos, garantindo a sustentabilidade financeira do negócio.


Investimentos: considere os investimentos necessários para aprimorar a qualidade dos serviços, adquirir tecnologia de ponta e expandir a carteira de pacientes. Uma parte do lucro deve ser reservada para investimentos futuros. Entendendo tudo o que você considera importante para o futuro da sua clínica, fica mais claro definir o quanto precisará sobrar no fim de cada mês.


Competitividade: analise os valores praticados pelo mercado, mas não os tome como única referência. Sua meta de lucro deve ser personalizada para atender às especificidades da sua clínica e ao valor que você entrega aos pacientes.


Planeje e acompanhe seus resultados de perto. Considere as ações a seguir:


Análise SWOT: já ouviu falar nessa análise? Esse é um sistema usado para encontrar os pontos fortes (strengths), fracos (weaknesses), oportunidades (opportunities) e ameaças (threats) da sua clínica. Isso ajudará a definir metas realistas e estratégias específicas para alcançá-las.


Acompanhamento regular: o mercado e as circunstâncias estão sempre mudando. Estabelecer um sistema de acompanhamento e monitoramento regular é essencial para seguir competitivo e seguir aplicando uma gestão eficiente na sua clínica.
 

Ajuste do valor de venda por procedimento

Ao chegarmos a este ponto do guia, você já percorreu a jornada completa de precificação para seus serviços odontológicos, compreendendo desde a análise dos custos até a consideração de fatores variáveis que podem impactar diretamente na formação de preços. 

Agora, é o momento de garantir que seus esforços se traduzam no lucro esperado “que você realmente espera”, ou seja, sem surpresas negativas.

Com a definição do percentual do lucro líquido que você deseja como um norte, é hora de ajustar o valor de venda por procedimento ou ir ajustando aos poucos até alcançar esse objetivo. 

Passo a passo para a precificação dos procedimentos 

Aqui está um resumo do que vimos neste ebook, de forma prática, que te ajudará a aplicar essas informações de forma mais eficiente:

Passo 1 - Procedimentos realizados: Listar todos os procedimentos realizados e o tempo médio para execução de cada um.

Passo 2 - Horas trabalhadas efetivas: Encontrar a média de horas trabalhadas, descontando a ociosidade (cadeira vazia) e somar as horas de todas as cadeiras.

Passo 3 - Custo Fixo: Classificar os custos e encontrar a média do Custo Fixo da clínica, analisando os 6 últimos meses.

Passo 4 - Custo Variável, Uso e Consumo: Encontrar a média de dental geral da clínica (analisando os 6 últimos meses) e somar ao Custo Fixo encontrado. Ex.: luvas, máscara, gaze, algodão, seringa, material de moldagem e esterilização…

Passo 5 - Cálculo da Hora Clínica (hora e min): O cálculo é: (soma do custo fixo + custo de uso e consumo) / soma das horas efetivas trabalhadas.

Passo 6 - Custo Material (cv): Listar todo material específico e considerar no custo total do procedimento.

Passo 7 - Custo Hora Cadeira: Nesse momento multiplica-se o tempo de execução de cada procedimento pelo custo da hora clínica para saber o custo de cadeira ocupada para realização daquele procedimento.

Passo 8 - Impostos sobre Venda: Saber a alíquota efetiva se PF ou % imposto descontado se PJ, para aplicar ao valor de venda do procedimento.

Passo 9 - Taxa cartão de crédito: Considerar sempre a maior taxa de cartão de crédito, pois ela pode acontecer em alguma venda. 

Passo 10 - Comissionamento Equipe Vendas: Aqui é inserido o percentual ou valor fixo de comissionamento para a equipe de vendas.

Passo 11 - Comissionamento dentista parceiro: Poderá ser percentual ou valor fixo por procedimento. 

Passo 12 - Comparação e ajuste do valor de venda: Ao comparar com o valor de venda, sabe-se exatamente quanto sobra. Esse valor que sobra é o Lucro Líquido (R$) e em percentual, a lucratividade. O ajuste do valor de venda para chegar ao lucro esperado não é apenas uma questão financeira, mas uma estratégia para sustentar e impulsionar o crescimento da sua clínica odontológica. 

Ao garantir o lucro esperado, você não apenas fortalece a saúde financeira do seu negócio, mas também consolida sua posição como referência na prestação de serviços odontológicos de excelência. Siga caminhando com confiança rumo ao sucesso financeiro e profissional que você realmente espera e merece!

O pulo do gato

Precifique como um artista

Neste tópico, mergulharemos no conceito provocativo do livro "Roube como um artista", uma abordagem inovadora apresentada por Austin Kleon que ressoa poderosamente no mundo criativo e, surpreendentemente, pode ser aplicada de maneira transformadora à precificação de serviços odontológicos.

No livro de Austin Kleon, a premissa central é que um bom artista é, na verdade, um colecionador de ideias. Quanto mais amplas forem suas fontes de inspiração, mais rica será sua bagagem criativa. 

Adaptando esse conceito para a odontologia, percebemos que, assim como um artista se inspira em diversas fontes para ter ideias, um profissional da odontologia, mesmo que não seja especialista, pode se beneficiar enormemente ao absorver conhecimentos variados sobre gestão financeira, precificação e organização.   

Da mesma forma que um artista não cria no vazio, você, como profissional da odontologia, não precisa reinventar a roda quando se trata de precificar seus serviços. A melhor ideia já está disponível, estruturada passo a passo neste ebook. 

A ideia central é clara: você não precisa ser um especialista financeiro para dominar a precificação eficiente. Ao pesquisar, estudar e "roubar" ideias e conceitos financeiros que já existem, você pode aplicar uma gestão financeira de máxima eficiência em sua clínica odontológica. 

Aplique as estratégias apresentadas neste ebook de maneira criativa e adaptada à sua realidade, assim como um artista adapta influências para criar algo único.

Utilize uma planilha de precificação

Co-autora deste ebook, Isabella Viana é formada em engenharia de produção pela faculdade de Itaúna - MG, é MBA em gerenciamento de projetos ágeis pela FGV e especialista em gestão de clínicas odontológicas. Além disso,  Isabella faz parte do time da Clinicorp atualmente como Consultora de Negócios. Sua experiência torna este guia ainda mais valioso, oferecendo insights práticos e eficazes para aprimorar sua precificação.

Estamos animados em compartilhar que todo o processo detalhado neste ebook pode ser implementado por meio de uma planilha prática no Excel desenvolvida por Isabella.

Essa ferramenta, além de extremamente acessível, é fácil de usar e oferece uma visão clara e organizada dos passos necessários para uma precificação eficiente.

Como utilizar a planilha — Passo a passo

  • Download gratuito: a planilha de precificação está disponível gratuitamente ao final deste tópico.
     

  • Preenchimento simples: a interface intuitiva da planilha permite um preenchimento fácil e rápido. Basta inserir informações específicas sobre seus custos, comissões, tempo de procedimentos e valores praticados.
     

  • Cálculos automatizados: a magia acontece nos bastidores. A planilha realiza automaticamente diversos cálculos necessários, proporcionando uma visão clara dos custos envolvidos e sugerindo resultados assertivos.
     

  • Análise e ajustes: utilize os insights gerados pela planilha para analisar e ajustar sua precificação. Se necessário, faça alterações estratégicas para otimizar os processos e resultados finais.

Curso exclusivo com Isabella Viana

Para aprofundar ainda mais seus conhecimentos, a Isabella Viana oferecerá um curso completo sobre precificação de serviços para dentistas. Com abordagem prática, didática exemplar e acompanhamento personalizado, o curso é uma oportunidade única para aprimorar suas habilidades de precificação e gestão financeira.

Faça o download da planilha agora mesmo e leve sua gestão financeira para o próximo nível.

Quero receber minha

planilha de Precificação

Utilize os relatórios Clinicorp

O sistema Clinicorp oferece, atualmente, mais de 30 relatórios para facilitar o planejamento e a análise de dados na sua clínica odontológica. Esses relatórios são recursos-chave para colocar você, profissional dentista ou gestor de clínica, no controle total de sua jornada financeira.

Durante todo o transcorrer desse ebook vimos a importância de ter clareza e assertividade com os números que serão trabalhados. 

Os relatórios Clinicorp são divididos em cinco grandes grupos: financeiro, estoque, pacientes, agendamentos e tratamentos, conforme imagem abaixo:

Relatorios-Software-Clinicorp.png

.

Para uma estratégia de precificação alguns relatórios se tornam extremamente interessantes:

Aqui estão os relatórios que se destacam nesse contexto:

  • Faturamento:

    • Essencial para entender as receitas geradas pela clínica. Permite avaliar a performance financeira geral.
       

  • Todos Lançamentos:

    • Oferece uma visão detalhada de todas as transações financeiras, o que é vital para identificar padrões e tendências.
       

  • Contas a Pagar:

    • Ajuda na gestão das obrigações financeiras, garantindo que os compromissos sejam atendidos, evitando impactos negativos na precificação.
       

  • Pagamentos e Comissões:

    • Permite um acompanhamento transparente dos pagamentos e comissões, contribuindo para a análise de custos e remuneração de profissionais.
       

  • Nota Fiscal:

    • Facilita a emissão de notas fiscais, garantindo conformidade legal e organização financeira.
       

  • DRE (Demonstração do Resultado do Exercício):

    • Fornece uma visão clara da lucratividade da clínica, auxiliando na tomada de decisões estratégicas.
       

  • Fluxo de Caixa:

    • Fundamental para entender as entradas e saídas de recursos financeiros, contribuindo para a gestão eficiente de caixa.
       

  • Controle de Estoque:

    • Importante para clínicas que também oferecem produtos. Mantém uma visão clara sobre os materiais e insumos disponíveis, afetando diretamente os custos da clínica.
       

  • Orçamentos:

    • Auxilia na precificação ao oferecer uma visão clara das estimativas de custos e receitas para tratamentos planejados.
       

  • Procedimentos Executados:

    • Oferece uma análise detalhada dos procedimentos realizados, ajudando na avaliação de desempenho e rentabilidade.
       

A grande verdade é que todos os relatórios específicos do sistema Clinicorp são extremamente práticos e importantes e o uso de cada um deles depende de qual estratégia você está realizando no momento. Mas com toda certeza, uma análise integrada, considerando múltiplos relatórios, proporcionará uma compreensão mais completa e embasada para a tomada de decisões estratégicas.

Você não precisa se frustrar toda vez que tentar acompanhar os resultados da sua clínica. Clique no botão abaixo e fale com um especialista Clinicorp. Ele poderá te explicar com detalhes como aplicar cada um desses relatórios para precificar seus tratamentos.

Ainda não sou cliente

Já sou cliente

bottom of page