fbpx ...

4 erros que você precisa evitar para manter um controle financeiro saudável na clínica odontológica

Juliana Bisewski
Julho 5, 2024
Financeiro
Compartilhe

Inscreva-se na Newsletter Clinicorp

Receba em primeira mão nossos posts diretamente em seu e-mail

Manter um controle financeiro saudável em uma clínica odontológica é um dos maiores desafios enfrentados pelos dentistas. A falta de uma gestão eficiente pode levar a problemas financeiros graves, afetando a sustentabilidade do negócio. 

Falta de controle financeiro.
Fundo laranja com uma mulher de jaleco branco em primeiro plano assustada e em segundo plano engrenagens que representam gestão e moedas amarelas que representam o dinheiro.
Descubra como finalmente alcançar o controle financeiro da sua clínica.

A gestão financeira inadequada pode levar ao aumento das dívidas e, em casos extremos, ao fechamento da clínica. É essencial que os dentistas compreendam a importância de um controle financeiro rigoroso para assegurar a saúde financeira de suas clínicas.

Neste blog, abordaremos os principais erros que os dentistas devem evitar para garantir um controle financeiro eficiente e como o software Clinicorp pode ser a solução ideal para essa questão.

Neste Blog você verá:

Boa leitura!

Texto por Dr. Felipe Bahls

Leia também: Controle financeiro empresarial: Estratégias práticas para uma clínica odontológica saudável

Por que é tão difícil aplicar um controle financeiro saudável na clínica odontológica?

A dificuldade de ter controle financeiro não é só da odontologia, somos culturalmente ensinados a não ter uma organização financeira em casa e acontece que dentistas levam esse hábito para dentro do consultório. 

Não existe separação entre pessoa física e jurídica na vida cotidiana e a organização da sua rotina pessoal ou da sua casa acaba refletindo nos materiais odontológicos. Hoje o dentista de consultório único, pessoa física, paga a pizza do jantar com o mesmo dinheiro que recebeu a entrada do paciente pela manhã. 

O primeiro passo é a consciência de entender que empresa pobre e dono rico estão com os dias contados.  

Sem dúvida, os principais desafios que nós, dentistas, como gestores de clínicas enfrentamos, é registrar de alguma forma custos invisíveis, como ‘’é só uma comprinha na dental…” ou “é só uma pizza…’’.

Aprender a fazer o fluxo de caixa é uma grande dificuldade para o dentista. Muitas vezes ele retira todo o dinheiro da empresa no final do mês (isso quando tem conta PJ) e misturam com as contas pessoais.

Não fazem reserva de emergência, não fazem fundos para melhorias, adiantam os valores do cartão, perdendo não só a previsibilidade de recebimento, mas também a lucratividade em taxas, e depois disso, ainda reclamam que não tem dinheiro para pagar as contas, jogando a culpa no mercado competitivo.

E você dentista, acha que pode resolver isso aumentando a captação de pacientes?

É aí que piora de vez. Suas despesas de dental, laboratório, colegas dentistas aumentam ainda mais, levando a clínica, muitas vezes, a fechar as portas. 

Vamos recordar alguns pontos para você manter o controle financeiro saudável em sua clínica:

4  erros que você precisa evitar para manter um controle financeiro saudável na clínica odontológica

Manter um controle financeiro saudável é essencial para o sucesso de qualquer clínica odontológica. No entanto, muitos dentistas cometem erros comuns que podem comprometer a saúde financeira de suas práticas. Aqui estão quatro erros críticos que você deve evitar.

1. Deixar de abrir uma conta pessoa jurídica

Contadores sugerem que se você tem no mínimo R$ 5 mil de faturamento ao mês, já é aconselhável abrir uma empresa. 

Pensa comigo: se a lucratividade na odontologia é em média 30% e você, emitindo recibo na pessoa física, paga 27,5% de imposto, onde está seu lucro? 

E se o paciente ainda pedir desconto na avaliação? 

E se você ainda adianta o cartão perdendo em média 12% de taxa para a máquina?

E se você ainda paga seu dentista com uma porcentagem equivocada?

A conta não vai fechar. 

Abrir CNPJ, além de trazer credibilidade para o seu paciente, traz uma melhor organização nas contas, separando o “você dentista”, que é um funcionário dentro da sua empresa, pago pelo pró-labore, e o “você empresário”, dono do seu negócio, pago pelo lucro.

2. Não saber como fazer seu fluxo de caixa

Saiba que apenas 30% do seu faturamento é lucro (se tudo estiver bem alinhado). No final do mês você terá pagamentos de pacientes, cartões, pix tudo na conta jurídica. Lembre que você tem que deixar nessa conta no mínimo o valor para pagar as contas do consultório até o dia 10. 

As maiores despesas de um consultório são: 

  • Aluguel;
  • Folha de funcionário;
  • Dental;
  • Laboratório. 

Deixe na conta da clínica o valor para essas despesas. 

Pague um pix para sua conta pessoa física, que é seu pró-labore (salário do dono na própria empresa) 

O restante que sobrou pode ser seu lucro, lembre-se de reinvestir parte dele em canais de aquisição de clientes. 

‘’Mas Felipe, não sobrou nem para pagar as maiores contas, e agora?’’ 

– Seja bem-vindo a realidade da maioria dos dentistas.

Talvez você também goste: Controle do fluxo de caixa: como aplicar de maneira eficiente em clínicas odontológicas

3. Adiantar os valores de cartão

Esse é outro gargalo da lucratividade. Desde que eu comecei a usar o Sistema Clinicorp para emissão de boletos, minha lucratividade aumentou ainda mais.

A maioria dos pacientes não tem limite disponível no cartão para fechar os tratamentos e com isso eu perdia muitas vendas. 

No sistema, eu faço o orçamento do paciente e ali mesmo ele me mostra a opção de parcelamento no boleto, onde precifico a inadimplência na minha tabela de valores e passo para o paciente o valor de parcelas sem juros para ele fechar.

Sem burocracia, quando aprovo o orçamento no sistema, eu posso imprimir os boletos e/ou programar o envio para ele por e-mail. 

O sistema Clinicorp possui ainda uma régua de cobrança que envia um lembrete de vencimento do boleto ao paciente. 

Sendo assim, ao invés de perder taxas para a máquina de cartão, que podem ir de 3,5% a 12%, pago apenas R$1,90 por boleto compensado. 

4. Precificar sua tabela de valores baseado na concorrência e na região

Esse, definitivamente, é um dos erros mais comuns dos dentistas atuais que impedem seu crescimento financeiro. Concorda que seus concorrentes possuem aluguel, folha de funcionários e custos em geral diferentes dos seus? E como que você quer cobrar igual a eles?

A forma que você cria sua tabela de preços tem que ser baseada nos seus custos, na sua hora clínica. Dentro da sua precificação incluímos taxas de cartão, impostos, pagamentos de colegas, ociosidade, faltas de consultas, repetições de trabalhos, comissões de funcionários, dentre outros. 

Precificação é assunto do primeiro módulo da mentoria, de tão importante que é sabermos quanto de margem de desconto conseguimos dar na hora da venda, quanto de lucratividade temos no final do mês (se tivermos) e quanto é recomendável pagar para o seu dentista colega com base na sua operação.

Assuma o controle do seu financeiro com a Clinicorp

Não consigo imaginar organizar o financeiro da minha clínica sem o sistema Clinicorp.

Entrando no campo ‘’Financeiro’’ é bem visível a separação de contas a pagar por categoria, onde posso colocar como recorrente as despesas que se repetem, fluxo de caixa onde ele me mostra em forma de gráfico a entrada, saída e previsão de recebimento dentro do mês. Bem como, facilmente escaneando o QR no meu App, em poucos instantes o dinheiro dos recebíveis estará na minha conta. 

Para te ajudar a alcançar total controle financeiro da sua clínica, a Clinciorp desenvolveu o Kit Sucesso financeiros para clínicas odontológicas. Clique no link e baixe gratuitamente.

Conclusão

O Clinicorp é a tal da ferramenta que quando começa a usar não consegue ficar sem. Ele dá segurança para a saúde financeira da minha clínica e praticidade em dar condições facilitadas para o meu paciente na hora da avaliação com um custo extremamente baixo. 

Além disso, é possível consultar o CPF do paciente na ferramenta atrelada ao SPC/SERASA, que é extremamente necessária antes de oferecer boleto ao paciente.

De tanto que indico o sistema, tenho um link exclusivo de indicações que ofereço para todo meu novo aluno. 

Se eu quero que ele evolua financeiramente, tenho que dar a melhor ferramenta do mercado nas mãos dele.

Para conhecer e começar a utilizar esse sistema incrível, preencha o formulário abaixo e converse com um especialista.

Solicite o contato de um especialista da Clinicorp

Homem de social trabalhando em seu computador.

Você também vai gostar desses conteúdos

Receba conteúdos relevantes toda semana no seu e-mail​

Ei, não vai embora ainda!

Que tal tirar suas dúvidas com um especialista Clinicorp?