top of page

Planejamento Ortodôntico: o que é, qual a importância e como um software odontológico pode auxiliar

Atualizado: 31 de jan.

O planejamento ortodôntico é o elemento central que garante o sucesso dos tratamentos realizados por um ortodontista. Nele, o profissional deve apontar quais são os objetivos da intervenção ortodôntica e o seu plano de tratamento.

ortodontista mostra como é organizado o sistema de aparelho nos dentes
O planejamento ortodôntico é a etapa mais importante do tratamento ortodôntico.

O planejamento ortodôntico é uma das etapas mais importantes do tratamento com alinhadores ortodônticos, sejam eles tradicionais, com seus arcos metálicos, ou os modernos alinhadores estéticos invisíveis.


Normalmente, ele é dividido em duas seções principais: uma apontando os objetivos que se deseja alcançar com a intervenção ortodôntica e na outra o plano de tratamento, onde o profissional detalha o que será feito para se atingir esses objetivos.


Neste blog você verá:

Acompanhe!



O que é planejamento ortodôntico?


O planejamento ortodôntico é um modelo de todo o tratamento ao qual o paciente será submetido para alcançar o sorriso ideal. Ele é composto por um documento detalhado que contém informações como opções de tratamento recomendadas para o caso, tempo de duração, recomendações para o pós-tratamento e o plano de pagamento.


Essas informações são documentadas pelo ortodontista, que as usa para guiar a execução do tratamento, e apresentadas ao paciente para que ele decida se deseja prosseguir ou não, com o tratamento ortodôntico.


Para que serve o planejamento ortodôntico?


Os casos de apinhamento, overbite e mordida profunda (sobremordida) são os principais tipos de desalinhamento dental tratados pelos ortodontistas. E entre as opções de tratamento disponíveis, os aparelhos ortodônticos são mais frequentemente escolhidos para tratar esses casos, devido ao fato de estimularem os dentes a se moverem para uma posição saudável.


Nesse sentido, o planejamento ortodôntico compreende a elaboração de um plano de tratamento com todas as etapas a serem executadas para corrigir o desalinhamento dental do paciente.


Para isso, o ortodontista deve realizar a avaliação de saúde bucal, documentação e diagnóstico, e posteriormente, com essas informações definir as melhores opções de tratamento para o caso do paciente.


Planejamento ortodôntico: entenda a importância


Ao iniciar um tratamento ortodôntico, o ortodontista deve saber que a parte mais importante de todo o processo é o planejamento ortodôntico. É nele onde ficam as informações sobre o diagnóstico do paciente, procedimentos a serem realizados, os objetivos do tratamento e previsão de conclusão.


Para o paciente


Dependendo do grau de desalinhamento dos dentes, alguns pacientes podem ter mais opções de tratamento, enquanto outros podem ter apenas uma ou duas. Tudo depende da situação de saúde bucal e de quanto o paciente está disposto a investir para ter um sorriso bonito.


A decisão sobre o tratamento certo é conjunta e deve ser acordada entre o paciente e seu ortodontista. Nesse momento, o planejamento ortodôntico é o que ajuda o paciente a compreender o próprio caso e as opções de tratamento disponíveis.


Para os profissionais


O plano de tratamento serve como um importante guia para que o ortodontista possa projetar as melhores soluções em relação aos problemas dentais observados durante o diagnóstico.


Nele, o profissional deve definir quais serão as medidas necessárias para correção do problema e as recomendações de tratamento, assim como qual será a estimativa de duração do mesmo.


Quais as principais etapas do planejamento ortodôntico?

mulher colocando aparelho ortodôntico estético e invisível
Conheça as principais etapas do planejamento ortodôntico.

A qualidade do resultado em um tratamento ortodôntico depende de uma série de fatores como a colaboração do paciente, a experiência do profissional e, principalmente, o cumprimento de todas as etapas do planejamento ortodôntico.


Jamais se deve pular etapas, isso pode comprometer o sucesso do tratamento e prejudicar não apenas a estética dos dentes, mas também a saúde bucal do paciente. Além disso, a previsão de duração do tratamento pode aumentar se ocorrerem imprevistos.


Para que você entenda melhor todas as etapas do planejamento ortodôntico e a importância de cada uma delas, nós preparamos um breve resumo. Acompanhe!


1. Diagnóstico


Todo tratamento ortodôntico começa com uma primeira consulta para avaliar a condição de saúde bucal do paciente, mas o diagnóstico vai muito além. Ele envolve uma avaliação criteriosa do estado geral da boca do paciente e a solicitação de exames radiológicos complementares para identificar o problema e criar um plano de tratamento para corrigi-lo.


Após estudar detalhadamente o caso do paciente, o ortodontista deve informá-lo sobre as alterações encontradas, determinar o diagnóstico e apresentar as melhores opções de tratamento.


2. Instalação do aparelho


A instalação do aparelho ortodôntico representa o início do tratamento propriamente dito. Após a decisão do paciente, podem ser feitos novos exames e fotos para registrar a situação inicial e que servirão para comparação com o resultado final.


3. Alinhamento


O alinhamento é outra etapa extremamente importante do planejamento ortodôntico, visto que os dentes devem estar nivelados e alinhados para que a movimentação seja eficaz.


Para aparelhos ortodônticos fixos, a primeira correção é normalmente feita com fios leves e finos, que promovem giros para que os dentes se alinhem na posição correta. Já os alinhadores transparentes, seguem o planejamento digital feito pelo ortodontista.


Em alguns casos, pode ser indicada a extração de algum dente, mas para a maioria das pessoas o alinhamento ocorre naturalmente, sem grandes complicações.


4. Correção


Com os dentes do paciente já alinhados e nivelados, chega o momento de fazer a correção dos demais problemas. O uso de fios de aço, mais grossos que os utilizados na etapa inicial, combinados com elásticos, são responsáveis por promover a movimentação dos dentes para fechamento de espaços, ajuste de desvios, fechamento de mordidas abertas ou qualquer objetivo definido inicialmente.


Essa é uma das etapas do tratamento ortodôntico mais demoradas, mas é onde se observam os resultados mais promissores.


5. Finalização


Quando os dentes chegam próximo de suas posições corretas, é chegada a etapa de finalização do tratamento, que pode exigir o uso de elásticos verticais, dobra nos arcos ou instalação de brackets e acessórios.


Ainda que o paciente já esteja satisfeito com o resultado, apressar ou pular está etapa pode colocar a perder todo o sucesso do tratamento. Essa é uma das etapas mais trabalhosas para o profissional e requer colaboração extrema do paciente.


6. Contenção


Depois que o uso do aparelho ortodôntico não é mais necessário, o tratamento ainda não acabou. Os primeiros meses são considerados uma fase de adaptação dos dentes às suas novas posições, e nesses casos, o planejamento ortodôntico pode indicar o uso de contenções fixas ou removíveis para aumentar a estabilidade da arcada.


Nem sempre é possível prever o tempo de duração de cada uma das etapas no planejamento ortodôntico, afinal cada paciente reage de uma maneira diferente, e por isso cada um tem necessidades diferentes de tempo para que o problema seja corrigido.


Como fazer um bom planejamento ortodôntico?


Como apresentado anteriormente, todo planejamento ortodôntico começa com uma consulta de avaliação, avança para a fase de documentação e diagnóstico até chegar a execução do tratamento propriamente dito.


Abaixo, nós detalhamos cada uma dessas etapas e como você pode executá-las da forma correta, evitando imprevistos durante o tratamento dos seus pacientes. Confira!


Avaliação


A primeira etapa do planejamento ortodôntico é a avaliação. Para fazer uma avaliação precisa do problema dentário do paciente, o ortodontista utiliza diversas ferramentas.


Listamos as principais aqui:


- Impressões dentais:


As impressões dentais permitem que o ortodontista tenha uma visão tridimensional da arcada dentária do paciente.


Normalmente, elas são feitas com o paciente mordendo uma bandeja preenchida com um gel que endurece ao redor dos dentes. Depois que as bandejas são removidas, o gesso é colocado nos orifícios feitos pelos dentes. Após o endurecimento, eles formam um modelo exato que pode ser examinado detalhadamente pelo ortodontista.


Atualmente, existe ainda o escaneamento e impressão 3D, que dispensa o uso das bandejas dentais, proporcionando mais conforto aos pacientes.


- Raio-X:


Outra ferramenta utilizada é o raio-x, que permite verificar qualquer dano na estrutura óssea da boca do paciente ou potencial complicação do tratamento. Uma radiografia panorâmica fornece uma imagem única de toda a boca do paciente.


Este tipo de imagem permite uma avaliação precisa dos dentes e suas raízes, assim como dos maxilares superior e inferior, além dos tecidos e estruturas ao redor deles.


- Simulação computadorizada:


Atualmente, com a tecnologia dos softwares odontológicos, o ortodontista pode usar imagens geradas por computador para examinar problemas mais específicos. Essas imagens também podem ser usadas para prever como os diferentes tratamentos podem afetar o rosto e a mandíbula do paciente.


Existem ainda, softwares capazes de simular as movimentações dos dentes com extrema precisão, permitindo planejar e prever os resultados do tratamento de forma totalmente digital.


- Fotos:


O último recurso utilizado na avaliação e também durante todo o tratamento são as fotos.


Normalmente isso acontece antes, durante e depois do tratamento, para que o ortodontista possa ver e avaliar o andamento do tratamento. As fotos também fornecem uma forma de avaliar como o tratamento está afetando o formato do rosto do paciente.


Documentação


A documentação ortodôntica é um conjunto de exames e laudos radiográficos, sendo que os principais exames específicos para avaliar o caso em detalhes são: radiografia panorâmica, telerradiografia, modelos de estudo em gesso, fotografias intra e extra bucais, laudos e análises cefalométricas.


Ainda assim, quando necessário o ortodontista solicitar outros exames mais complexos como uma tomografia, por exemplo.


Diagnóstico


Antes de definir o plano de tratamento propriamente dito, o ortodontista deve diagnosticar qual é o problema. Existem muitas maneiras de fazer isso. No entanto, antes o profissional precisa identificar quaisquer outros problemas relacionados à condição bucal do paciente.


Uma vez que esses problemas tenham sido identificados e possam ser controlados, uma avaliação odontológica mais aprofundada pode começar. A avaliação ajuda o ortodontista a saber qual tipo de tratamento será mais eficaz.


Definição das opções de tratamento


Alguns casos exigem diversas etapas de tratamento ortodôntico. Enquanto os planos de outros pacientes podem ser mais simples. Tudo depende da complexidade do caso.


Alguns pacientes têm problemas complexos que só podem ser tratados com aparelhos convencionais. Já outros pacientes têm casos menos complexos que podem ser tratados com alinhadores estéticos.


Nesse sentido, cabe ao ortodontista apresentar as possibilidades de tratamento que vão garantir os benefícios que o paciente espera e os resultados definidos no planejamento ortodôntico. O paciente com as informações à sua disposição irá ajudar a decidir sobre sua opção de tratamento preferida.

Resultados alcançáveis


Todo mundo quer saber como o tratamento mudará o sorriso do paciente. Nesse sentido, as simulações computadorizadas ajudam a mostrar aos pacientes os resultados do antes e depois, mesmo sem ter iniciado o tratamento.


Dessa forma, o ortodontista tem mais previsibilidade para planejar o tratamento e o paciente fica ciente de quais são as possibilidades de resultados alcançáveis com o tratamento.


Duração do Tratamento


É também no planejamento ortodôntico que o ortodontista faz uma estimativa do tempo de tratamento. Essa estimativa é bastante precisa, mas se resume à rapidez com que os dentes do paciente se movem.


Opções de pagamento


O planejamento ortodôntico inclui também um orçamento detalhando todos os custos do tratamento.


Além disso, o ortodontista deve definir junto do paciente qual será a forma de pagamento, data de vencimento e número de parcelas, se for o caso. Trabalhar com diferentes meios de pagamentos pode ser um diferencial positivo neste momento.



Pós-tratamento


O tratamento ortodôntico não termina com o fim da necessidade de uso do aparelho. A fase final garante que os resultados do tratamento e o sorriso perfeito do paciente dure a vida toda.


Portanto, o planejamento ortodôntico deverá incluir informações sobre os cuidados pós-tratamentos e se existe a necessidade de utilizar contenções fixas ou removíveis para aumentar a estabilidade da arcada.


Planejamento ortodôntico virtual: como fazer?


Os softwares odontológicos atuais permitem visualizar imagens escaneadas de forma tridimensional, aumentá-las, girá-las, analisar o contato interoclusal, avaliar sobremordidas, overbites, largura de arco, quantidade de apinhamento, rotação dos dentes, entre outros problemas.


Com isso, você conta com todas as análises necessárias para fazer um planejamento ortodôntico muito mais preciso e eficaz, personalizado conforme as necessidades de cada paciente.


Além disso, você consegue verificar se há necessidade de realizar extrações, analisar a oclusão final do paciente, e principalmente apresentar as mudanças comparando o estado inicial e o resultado final do tratamento ortodôntico.


Por fim, para tratamentos com aparelho fixo, o planejamento ortodôntico virtual permite definir de forma precisa o posicionamento dos braquetes. Já para o tratamento com os alinhadores invisíveis, é um processo imprescindível para a confecção das placas alinhadoras.


Como investir em software para planejamento ortodôntico?


Os softwares odontológicos de planejamento ortodôntico virtual são ferramentas excelentes para definir o melhor plano de tratamento para o paciente e auxiliá-lo a entender a importância das intervenções a serem feitas.


Nesse sentido, existem bons softwares disponíveis no mercado, por valores acessíveis, que possibilitam muitas simulações de movimentação da arcada dentária dos pacientes, proporcionando uma ótima experiência para você e seus pacientes.


A utilização do planejamento ortodôntico virtual agrega um diferencial tão grande aos seus serviços, que o custo com as ferramentas pode ser facilmente dissolvido no valor cobrado aos pacientes. Afinal, estamos falando de uma técnica que oferece sofisticação e modernidade aos consultórios.


O software odontológico Clinicorp, conta com o Planejamento Digital de Alinhadores Ortodônticos, uma ferramenta que permite desenvolver um plano de tratamento totalmente personalizado para que você tenha controle total de cada etapa do tratamento e entregue o sorriso perfeito aos seus pacientes.


Nossas soluções trazem um método de planejamento ortodôntico muito mais assertivo que as demais opções do mercado, já que você pode prever melhor cada ação necessária nas diferentes etapas do tratamento.


Saiba mais conversando com um de nossos especialistas: solicite uma demonstração.


Conclusão


O planejamento ortodôntico serve para que o ortodontista possa projetar, com maior previsibilidade de resultados, as soluções em relação aos problemas ortodônticos identificados no diagnóstico, bem como quais as opções de tratamento ideais para cada caso e a estimativa de duração do tratamento.


Atualmente, a tecnologia tem revolucionado a maneira como ele é feito, trazendo mais segurança e precisão a todas as etapas do tratamento. Dessa forma, os ortodontistas trabalham de forma mais eficiente e os pacientes ficam mais satisfeitos.


E se você gostou de saber mais sobre a importância do planejamento ortodôntico, confira nossa leitura relacionada para saber mais sobre: Planejamento Odontológico: entenda a importância dessa ferramenta de gestão.

1.362 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page